Governo 2019 – Brasil: o que está acontecendo?

Infelizmente, com o atual desenrolar dos fatos dentro do Brasil, vemos um corte de verbas para saúde, educação, uma incapacidade generalizada do governo federal, um despreparo do poder executivo. E isso afeta o cotidiano de todos.

Um governo mais preocupado em tratar com milicianos, denunciar “doutrinação”, tentar alterar a constituição para mandar na vida de seus eleitores (vulgo a PEC 29) e finalmente um corte absurdo na educação, com o objetivo de “emburrecer” a população.

O que aconteceu?

Desde que o dito presidente entrou no poder, começou a “luta” para manter-se nele, e agradar a todos que tiveram sua promessa. Ou seja, classes políticas divergentes, conservadores, liberais, religiosos.

A única proposta fundamental que o Governo precisava passar para se manter era/é a Reforma da Previdência, que não ocorreu e não vai ocorrer tão cedo.

Alta do dólar, brigas com China, Rússia, Oriente Médio, retomada de uma ideia retrógrada de “Eixo do Mal”, “a volta do comunismo”, ou melhor, “o comunismo não morreu”, significando a retomada de um discurso bipolar, existente na Guerra Fria, (que acabou faz tempo). Além da tentativa, frustrada, de alinhamento automático com os EUA, que levaram ao Brasil perder milhões por causa da questão com a China e EUA. Ou até as questões com o Oriente Médio, com o qual o Brasil possui diversos acordos comerciais, como Irã, Arábia Saudita.

Veja:

Reação Árabe a política externa de Bolsonaro faz primeiras vítimas na bolsa de valores.

Discurso anti-China de Bolsonaro causa apreensão sobre negócios com o país.

China faz alerta a Bolsonaro e diz que ‘custo’ pode ser alto ao Brasil.

Ruralistas reclamam do viés anti-China do governo Bolsonaro.

Dito isso, vamos dar uma contextualização sobre as principais ações do Governo de Jair Bolsonaro, desde sua posse em janeiro de 2019.

JANEIRO

  • 01/01 – Aumenta o salário mínimo de R$954 para R$998, abaixo dos R$1006 prometidos (ou seja, não mudando nada o salário real só o virtual).
  • 01/01 – Demarcação de terras indígenas sai da FUNAI e vai para o Ministério da Agricultura (Ministra Tereza Cristina).
  • 04/01 – Ministro Moro, autoriza 300 homens da Força Nacional de Segurança para conter as ondas de violência no Ceará.
  • 04/01 – Bolsonaro sanciona lei permitindo alunos a faltarem aula por motivos religiosos, 2 anos para escolas se prepararem.
  • 08/01 – Brasil se retira do Pacto Global pela Migração da ONU.
  • 09/01 – Demissão de Alecxandro Carreiro (presidente da APEX).
  • 14/01 – Major Vitor Hugo como líder do governo na Câmara.
  • 15/01 – Decreto nº 9685 – flexibilizando as regras para a posse de armas de fogo no Brasil.
  • 18/01 – Concede a Ordem Nacional do Cruzeiro Sul ao 1º Ministro de Israel Benjamin Netanyahu.
  • 18/01 – Aceito no governo o pedido de Flávio Bolsonaro (filho do presidente) para a suspensão das investigações relativas a movimentações financeiras de seu ex-assessor Fabrício Queiroz.
  • 18/01 – Assinada medida provisória para medidas para combater a. Fraude em benefícios pagos pela previdência social.
  • 20/01 – Visita de Bolsonaro em Davos, discurso raso sem nada.
  • 23/01 – Onyx Lorenzoni (ministro-chefe da Casa Civil), divulga as 35 metas para os 100 dias de governo – privatizações e “enxugamento do Estado”.
  • 24/01 – Bolsonaro assina decreto que alterou a Lei de Acesso à Informação, dando aos chefes de órgãos ligados aos ministérios, permissão para atribuir sigilo “ultrassecreto” a dados que antes poderiam ser solicitados pela lei federal.

FEVEREIRO

  • 04/02 – Moro apresenta o Projeto Anticrime – mudanças no código penal, de processo penal e na Lei de Crimes Hediondos.
  • 18/02 – Exonera ministro Gustavo Bibiano – acusado de traição política e uso de candidaturas “laranjas” em campanha presidencial.
  • 18/02 – Anuncia o novo ministro da Secretaria Geral da Presidência, general Floriano Peixoto Vieira Neto. Ministérios com 8 militares chefiando. 10 militares no serviço do governo.
  • 20/02 – Apresenta Reforma da Previdência ao CN, aposentadoria necessária muda, homens 65 anos e mulheres 62 anos.
  • 26/02 – Com a aprovação total no Senado, 55 senadores favoráveis a transição de presidente do BC para Roberto Campos Neto, indicado por Bolsonaro desde 16/11/18.
  • 27/02 – Anuncia Joice Hasselmann (PSL) como líder do governo no congresso.

MARÇO

  • 12/03 – Decreto governamental extingue 21 mil funções de confiança e limita gratificações.
  • 15/03 – Arrecada R$2,377 bi a vista com leilão de 12 aeroportos brasileiros. Regras, outorga variável a ser paga ao longo dos 30 anos de concessão. Ágio passou de 4.700% pelo bloco Centro-Oeste.
  • 15/03 – Fixa critérios com ficha limpa para a nomeação dos cargos de confiança e funções gratificadas conforme Decreto nº 9.727.
  • 16/03 – Assina unilateralmente (ou seja, sozinho), decreto nº 9.731 liberando visto de passaporte para visitantes americanos, australianos, canadenses e japoneses.
  • 22/03 – Ministro do MA, Ricardo Salles, lançou a 1ª etapa da Agenda Ambiental Urbana: Combate ao Lixo no Mar.
  • 23/03 – Discussão entre bolsonaro e Major Vitor Hugo, comentar sobre reforma da previdência completa, aposentadoria necessária de civis e militares.
  • 25/03 – Autoriza a comemoração a data de início da ditadura militar de 1964.
  • 26/03 – Damares Alves (Ministério da Mulher, Família e dos DH) cancela o envio de cerca R$42 mi, para a compra de bitcoins para as necessidades da FUNAI e na Universidade Federal Fluminense (UFF).
  • 27/03 – Reforma da Previdência fica no CN, crise política e econômica do começo do governo.
  • 28/03 – Cria o documento MP-877/2019, facilitara o aumento de R$15mi por ano. Órgãos executivos e federais voltarem a realizar compras de passagens aéreas diretamente das empresas de voos domésticos sem intermédio de agencias de viagem.
  • 28/03 – Leiloa trecho centro-sul da Ferrovia Norte-Sul. Investimento para o leilão R$2,8 bi. Trecho leiloado com 1.537 km de distancia, de Porto Nacional até Estrela S’Oeste.
  • 29/03 – Justiça Federal do DF proíbe a União de realizar comemorações do golpe militar de 1964.

ABRIL

  • 04/04 – Criação de 13º salário para o Bolsa Família.
  • 05/05 – Fim do Horário de verão no país, fala que a tendência é a mudança nos relógios será eliminada do calendário do país.
  • 08/04 – Exonera Ministro da Educação, Ricardo Vélez anuncia ex-executivo da Votorantin Abraham Weintraub.
  • 08/04 – Sanciona lei tornando automática a adesão ao Cadastro positivo. Para “facilitar a concessão de crédito e reduzir juros”.
  • 11/04 – Evento evangélico, Bolsonaro declara “perdoar mas não esquecer”, o Holocausto, fortes reações em Israel, teve que enviar uma carta explicando para o governo israelense.
  • 15/04 – Formaliza o projeto da Lei de Diretrizes Orçamentárias de 2020, sem aumento real no salário mínimo, sem reajuste para servidores (exceto militares), nem realização de concursos públicos.
  • 24/04 – Sanciona a lei que cria a Empresa Simples de Crédito.
  • 25/04 – assina decreto que acaba com o horário de verão e ato que retira sigilo de operações de créditos com recursos públicos.
  • 30/04 – assinatura da provisória da liberdade econômica.

MAIO

  • 07/05 – Assina decreto que altera regras sobre armas e munições.
  • 14/05 – sanciona lei que torna mais rígida a Lei Maria da Penha.

Qual o contexto das manifestações sobre educação?

Corte linear de 30% nas verbas disponíveis, ou 3,4% no Orçamento Total.

Ministro Abraham Weintraub, cria nova crise no governo ao anunciar os cortes apenas para aquelas universidades que lhe parecessem criar “balbúrdia”, depois estende a todas. Bolsonaro resolve rever cortes, foi desmentido pelos comunicados do MEC e da Casa Civil.

Veja matéria da Gazeta do Povo sobre os cortes do governo.

Além disso, enquanto há o corte de gastos, o SFT gasta mais de R$481 mil com menu com vinho e lagosta. Supremo confirma pagamento de pensões a filhas de servidores.

Polêmicas em relação aos cortes desde janeiro de 2019

1. Menor investimento na área de humanas

Ministro da Educação falou em reduzir investimentos nos cursos universitários públicos de ciências humanas, usando o exemplo do Japão que voltou atrás nas medidas.

Bolsonaro defende a ideia pelo twitter, novamente de forma controversa:

2. Punir “balbúrdia” das universidades federais

Em entrevista a Estado de São Paulo, Abraham afirma que MEC cortaria recursos de universidades que não tivessem desempenho acadêmico satisfatório e promovessem “balbúrdia” nos campos, com sem-tetos e festas.

Reação ao comentário do Ministro da Educação sobre “balbúrdia” nas Universidades federais brasileiras.

3. Corte orçamentário em todas as Universidades Federais do Brasil.

Depois da polêmica sobre retirar verba de universidades específicas, Weintraub explica que o corte é para todas as universidades federias, anunciando como 30% dos valores totais e, após, 30% dos seus orçamentos não obrigatórios.

Imagem de do Ministro da Educação com o presidente Bolsonaro, “explicando” os cortes na educação com chocolates.

MEC afirma que bloqueio atingiu apenas “3,4% do orçamento total das federais”, totalizando R$1,6 bilhões.mais bloqueios de bilhões em áreas da educação que Bolsonaro havia colocado como prioritárias, infantil e básica.

Retirada do Twitter do Presidente.

Com a redução dos recursos, universidades anunciam cortes de auxílio -moradia ou alimentação, e pesquisas de campo. Algumas sem dinheiro para pagar contas de água, energia elétrica ou de fornecedores, como de limpeza e segurança. Muitas não sabem se conseguirão continuar no segundo semestre de 2019.

4. Cortes de bolsas da Capes

Na semana seguinte ao corte dos gastos nas universidades, governo divulga a suspensão das bolsas de mestrado e doutorado pela Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), que seriam destinadas a estudantes cujos trabalhos estavam em processo de avaliação.

Congelamento atingia 4.798 bolsas que não estavam sendo utilizadas no mês de abril, como parte da contenção de gastos federais. Gerando impacto na produção científica do país.

INEP divulga nota “todos os estudantes e pesquisadores que têm bolsa da Capes em vigor terão seu auxílio mantido” e que o congelamento das bolsas ociosas representa 1,75% do total dos 200 mil benefícios destinados a pós-graduação e formação de docentes.

Confira algumas das principais manifestações em relação ao ocorrido:


Portando, vê-se um governo completamente atrapalhado, que fala contra milícias e trabalha com elas, que não tem amparo da classe política. Que se utiliza de atos nepotistas, condecorando seus filhos com altas condecorações. Que permite que ministros despreparados e com ideias retrógradas sejam indicados.

Que está passando mais tempo e dinheiro em viagens internacionais, que só prejudicam o país do que faz acontecer. E, quando faz acontece, corta gastos na educação e permite que seus ministros comam lagosta com vinhos importados.

Agora é a hora da pergunta, quem votou nesse ser humano, votou porque acreditava que pudesse melhorar algo ou foi só por ódio do governo anterior?

Está valendo a pena para essas pessoas?

Porque o espectro para o país está cada vez de mal a pior, sem força política, sem ações lógicas e coerentes, sem preparo.

O Governo Bolsonaro, é o retrato de uma população como ele, retrógrada que acredita em discursos prontos, e em discursos ideológicos de políticos que se dizem “novos”, mas que estão a mais de 28 anos no poder, porque essa mudança é do tipo que esses eleitores querem, “mudar para manter o mesmo”, traduzindo no contexto, continuar afundando o país e prejudicando a população.

Bom, fique ligado nas próximas postagens.

Vamos discutir em breve, na variação do dólar e qual sua relação com as medidas do governo brasileiro além da importância da moeda no cotidiano dos brasileiros.

Até breve!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s