Feminismo: Entendendo conceitos (parte 2)

Continuando nossa série sobre o feminismo, agora é a hora de revermos alguns conceitos, de forma simples, acessível e aberta. Acho sempre legal começar com alguns exemplos de ações que ocorrem no cotidiano das mulheres.


Precisamos discutir sobre essas situações, descobrir como alterá-las, porém para ta precisamos conhecer e reconhecer alguns conceitos básicos.

Feminismo – feminismo é a luta por direitos iguais entre homens e mulheres. É um movimento político-social, que tem como um de seus pressupostos que a mulher ocupou e ainda ocupa um papel de subalternidade na sociedade, e que essa situação precisa ser combatida. O feminismo é um movimento visando o protagonismo da mulher, a igualdade de direitos, deveres, proteções em relação aos homens. O feminismo surgiu no século XIX, e passou por diversas fases, que são chamadas de ondas, hoje estamos vivendo na terceira onda. (Clique aqui para ler sobre o histórico do feminismo).

Segundo o Dicionário de Política de Noberto Bobbio: “Indica-se um movimento e um conjunto de teorias que têm em vista a libertação da mulher. Esse movimento nasceu nos Estados Unidos, na segunda metade da década de 60, e se desenvolveu rapidamente por todos os países industrialmente avançados, entre os anos 1968 e 1977.”

Machismo – subjugar o sexo oposto, de diversas formas, física, psicológica. Ou seja, o conceito se baseia no conjunto de pensamentos, atitudes, acontecimentos e costumes que fazem os homens crerem que são superiores às mulheres, ou seja, esse comportamento é discriminatório, tanto em relação a diferenciar as tarefas por gênero tendo como crença que homens têm mais direitos, voz e autoridade do que mulheres.

Machismo sútil – como Jessica Bennett define como aquele tipo que faz você pensar, “mas será mesmo?”, “foi uma cantada? Foi um abuso? Uma ofensa?”. É sútil, quase (foca no quase) imperceptível.

Manterrupter – quando um homem interrompe uma mulher, sem convite, sem autorização, como aquele seu parente, colega de trabalho faz quando vocês estão conversando e ele te interrompe.

Mansplainer – aquele cara que sabe tudo, sabe mais do que você que teve a ideia do projeto, que é tem doutorado na área, que escreveu o livro. Em termos simples é quando um homem se “mete” na frente da sua explicação para explicar o que você ia explicar sem nem pedir permissão. Basicamente um boy lixo e embuste. (DICA: Procure o ensaio – Os homens explicam tudo para mim, da Rebecca Solnit).

Bropropriator – aquele cara que rouba o crédito da ação, ideia, meta da pessoa, dizendo como se todo o crédito fosse dele. Ocorre com mais frequência com mulheres, por mais que homens também se apropriem da ideia de outros indivíduos do sexo masculino.

Machocrata/machista – aquele homem que trata as mulheres como inferiores, subordinadas a ele. E, muitas vezes, sem conhecer a pessoa nem se ocupa em ver quem é, o que faz.

Continue acompanhando essa série de posts. O próximo será sobre a mudança de paradigma da mulher da década de 1960 para a mulher dos anos 2000.

Não esqueça de curtir, compartilhar e debater.

Até o próximo post.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s